Os 10 erros nas redes sociais que podem custar seu emprego
POSTADO EM 31 de August de 2018

Preocupadas com a reputação e a segurança da informação, empresas estão atentas ao que funcionários e candidatos às vagas fazem nas redes sociais

Se você não presta atenção nos conteúdos que compartilha nas redes sociais, é melhor começar a pensar melhor nisso. Usar as redes é como falar em público, mas nesse caso, você pode estar falando, literalmente, para todo o mundo. Então, falar mal da empresa, dos chefes, se expor em excesso ou compartilhar notícias falsas são fatos que podem pegar mal e resultar até mesmo em demissão.

A consultora em Recursos Humanos Thaís Pagliari, da ActionRH, explica que é necessário ter moderação ao usar as redes sociais. Isso porque as empresas pesquisam os perfis nas redes sociais dos candidatos às vagas de emprego e também de seus funcionários. “Em alguns casos, os perfis nas redes sociais valem como critério de definição para que uma pessoa seja contratada”, ressalta.

No caso dos funcionários, a atenção deve ser redobrada. Usar as redes para propagar discussões ou calúnias pode ser muito danoso. “Somos mais do que uma pessoa física na rede social, somos também uma pessoa jurídica, representando aquela empresa em que trabalhamos. Qualquer ação ruim, pode respingar na imagem da empresa”, enfatiza. Para evitar problemas, Thaís sugere que é sempre bom repensar as postagens, principalmente aquelas relacionadas a sentimentos momentâneos. “Às vezes, em um dia ruim, expor uma situação que incomodou pode parecer imaturidade ou inflexibilidade”, diz.

Fugir dos comportamentos que provocam rejeição dos empregadores é o caminho para se dar bem no mercado de trabalho. Para isso, Thaís separou dez dicas do que evitar na hora de fazer uma postagem.

Publicar fotos ou textos provocativos ou inadequados;

Reclamar de ex-colegas ou da empresa que trabalha ou já trabalhou;

Mostrar baixa habilidade de comunicação, apelando para xingamentos e ofensas;

Manter postagens com conteúdo de discriminação relacionado à raça, sexualidade, gênero, religião etc.;

Postagens contando os dias para acabar a semana de trabalho e agradecendo por ser sexta-feira;

Compartilhar informações confidenciais do emprego atual e dos anteriores;

Falar em nome da empresa nas publicações;

Usar e chamar os outros por apelidos não profissionais;

Fazer apologia ao uso de drogas ilícitas;

Superexposição nas redes sociais, com postagens frequentes.

Por:

COMENTE

Comentários