Outubro Rosa: autoexame é uma forma prática de reconhecer alterações mamárias
POSTADO EM 10 de October de 2017

A mamografia é o principal exame para detecção precoce de patologias

Uma das doenças que mais atinge a população feminina é o câncer de mama. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), mais de 50 mil novos casos de câncer de mama são registrados por ano no Brasil. Para promover a conscientização sobre a importância da detecção precoce da doença, o que aumenta as chances de tratamento e cura, foi criado o movimento Outubro Rosa.

A ginecologista Mariana Procópio Cavalari, da clínica Pronto Saúde, explica que o câncer de mama não tem somente uma causa. “Normalmente, a idade é um dos fatores de risco mais fortes para o desenvolvimento do câncer de mama. Em cada cinco casos, quatro ocorrem após os 50 anos de idade, por exemplo. No entanto, outros fatores como histórico familiar, não ter amamentado ou gestado e consumo exagerado de bebidas alcoólicas também podem contribuir para o desenvolvimento da doença”, diz a médica.

Ela ressalta que as mulheres devem observar atentamente suas mamas e, principalmente, fazer anualmente exame de mamografia após os 40 anos de idade. “O autoexame pode ser feito no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano, quando a mulher se sentir confortável para isso. Mesmo sem conhecer a técnica específica, é importante ter atenção a descoberta casual de pequenas alterações mamárias. Porém, a mamografia é o exame capaz de detectar as patologias mamarias, principalmente o câncer de mama, devendo assim ser feita anualmente após os 40 anos de idade”, afirma.

Mariana explica que os principais sinais e sintomas do câncer de mama são: caroço ou ondulação, pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja e alterações no bico do peito com saída de secreção ou não. “É necessário muita atenção com essas alterações na mama. Ao perceber qualquer diferença, a mulher deve procurar seu médico para exames mais minuciosos e não se esquecer da mamografia anual mesmo com exame anterior normal. Esse câncer tem cura desde que descoberto e tratado a tempo”, diz.

Além do autoexame, consultas periódicas com ginecologista e exames clínicos frequentes fazem toda a diferença na prevenção dessa e de outras doenças que atingem as mulheres. “Ao se conhecer por meio de autoexame e de consultas periódicas, é possível tratar muitas doenças antes que elas evoluam para casos graves. Isso gera mais qualidade de vida para as mulheres em diversos aspectos”, finaliza a médica.

Por:

COMENTE

Comentários