Psoríase: doença e preconceito têm tratamento
POSTADO EM 18 de October de 2017

Dia Nacional de Conscientização da Psoríase alerta para cuidados com a doença

Qualquer mancha na pele costuma chamar atenção e, muitas vezes, assustar. Quando essas manchas são relacionadas a doenças, surge outro problema: o preconceito. Caracterizada pelo aparecimento de lesões avermelhadas e descamativas, a psoríase é uma doença inflamatória crônica que afeta a pele, principalmente cotovelos, couro cabeludo, joelhos e unhas. Para alertar sobre os cuidados com a doença e diminuir o preconceito, no dia 29 de outubro é comemorado o Dia Nacional de Conscientização da Psoríase.

Isso porque a psoríase é mais do que uma questão de saúde. A psoríase é uma doença que afeta também a autoestima, os relacionamentos e a vida profissional de mais de 5 milhões de brasileiros. Segundo pesquisa divulgada pela associação Psoríase Brasil, cerca de 81% dos pacientes com essa doença tem a autoestima afetada.

A médica dermatologista Ana Luiza Magnabosco de Mathias, da clínica Pronto Saúde, explica que a psoríase é uma doença crônica. “Sua causa é desconhecida, mas sabe-se que está relacionada ao sistema imunológico, às interações com o meio ambiente e à suscetibilidade genética”, afirma.

No entanto, o preconceito ainda existe. A dermatologista explica que a psoríase é uma doença doença sistêmica que além da pele pode estar associada a artrite psoriásica, doença de crohn, distúrbios psicológicos, e síndrome metabólica. No entanto, as manchas na pele causam o preconceito, por medo de contágio. “É muito importante lembrar que a psoríase é uma doença não contagiosa. Por isso, não é necessário evitar o contato com quem tem psoríase”, ressalta a médica.

O tratamento contínuo é essencial para manter o controle da doença e consequentemente contribuir com a melhora na qualidade de vida. “A psoríase não tem cura, mas tem tratamento. Em casos leves, é fundamental a hidratação da pele associada a medicamentos tópicos. Já em casos graves, há a necessidade de medicações por via oral ou injetáveis”, explica Ana Luiza.

Outros fatores que impulsionam a melhora dos sintomas são uma alimentação balanceada, a prática de atividade física, além do controle adequado de outros fatores clínicos. “É importante lembrar que a psoríase pode ter um impacto significativo na qualidade de vida e na auto-estima do paciente. E o estresse do dia a dia pode agravar a doença. Assim, o acompanhamento com um médico dermatologista é de fundamental importância para o controle da doença e o bem-estar do paciente”, finaliza a médica.

Por:

COMENTE

Comentários