Sete em cada dez brasileiros sofrem de gastrite
POSTADO EM 17 de May de 2017

Dores no estômago exigem atenção e cuidados especiais

Desde a adolescência, o professor Pedro Freire, 27, sofre com fortes dores no estômago. Ao ser diagnosticado comgastrite, ele iniciou um tratamento com medicamentos e mudou seus hábitos alimentares. Pedro faz parte de um índice assustador: segundo a Federação Brasileira de Gastroenterologia, cerca de 70% da população brasileira possui algum tipo de gastrite. Para conscientizar as pessoas sobre alimentação saudável e cuidados com a saúde, no dia 29 de maio é comemorado o Dia Mundial da Saúde Digestiva.

“Após fazer muitos exames, os médicos descobriram que minha gastrite tinha causa emocional, a chamadagastrite nervosa. Então, iniciei um tratamento para controlar a ansiedade, o que diminuiu as dores no estômago. Mesmo assim, em algumas ocasiões, surgem dores causadas pela gastrite. Por isso, mantenho em casa o medicamento indicado pelo médico especialista, que controla muito bem a dor”, comenta Pedro.

Segundo o médico gastroenterologista da clínica Pronto Saúde, Davi de Moraes Albuquerque, a gastrite é uma inflamação na mucosa, um revestimento interno do estômago. “A mucosa contém células especiais que produzem o ácido e as enzimas que ajudam a quebrar os alimentos para a digestão. Além disso, a mucosa também protege o estômago do efeito desses ácidos”, explica.

Ao sentir dores no estômago, é recomendado procurar um médico, pois as causas da gastrite são diversas e cada uma pode ter um tratamento diferente. “A gastrite pode ter várias causas, como bactérias, uso prolongado de anti-inflamatórios, ingestão contínua de álcool e até fatores emocionais. Não basta apenas tomar um medicamento antiácido para cortar a dor, que posteriormente volta. É preciso tratar as causas”, explica o médico.

Segundo Davi, a gastrite ocasionadas por causas emocionais, como a de Pedro, estão entre as mais comuns. “Normalmente, as preocupações do nosso dia a dia provocam a liberação de maior quantidade de hormônios, como cortisol e adrenalina. Essas substâncias aumentam a secreção de suco gástrico e reduzem a defesa do estômago, o que provoca gastrite nervosa e, consequentemente, fortes dores”, afirma o especialista.

“Mesmo diagnosticado com gastrite de origem emocional, aprendi a ter mais cuidado com a alimentação. Evito, principalmente, refrigerantes, café e outros alimentos que intensificam essas dores”, diz Pedro.

O médico ressalta que se a gastrite não for tratada pode comprometer a saúde. “Se o indivíduo apenas tomar antiácidos para amenizar a dor e não buscar um especialista para tratar a real causa da gastrite, é possível que a situação se agrave e ocasione problemas mais sérios, como úlcera, atrofia gástrica e até mesmo câncer”, finaliza o médico.

Por:

COMENTE

Comentários